Voltar ao topo

Dicas e notícias

Sexo oral transmite doenças?

Doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) podem, sim, ser transmitidas durante o sexo oral. O risco de contágio é menor que no sexo vaginal e anal, mas ele existe e é importante que você saiba se prevenir. Apesar de quem faz sexo oral desprotegido no parceiro corre mais riscos de contrair uma dst (pois se expõe ao sêmem ou fluido vaginal) não quer dizer que quem receba não corra riscos.

Existem doenças que são transmitidas apenas pelo contato da pele íntegra como por exemplo a sífilis, onde não é preciso ter lesões ou feridas na boca, bastando ter a presença da bactéria; ou ainda no caso do Herpes, no contato com a pele infectada. Obviamente, se você tiver qualquer tipo de machucado, ferida ou aftas na boca o risco aumenta.

No caso do HPV, apenas menos da metade dos infectados tem evidencias da doença, como verrugas por exemplo, podendo haver contagio da cavidade bucal e embora a causa mais frequente de câncer de orofaringe  seja o tabagismo, recentemente alguns tumores foram relacionados à infecção pelo HPV. Outras DSTs como Clamídia, Gonorréia, hepatite e até HIV também podem ser contraídas durante o sexo oral desprotegido para ambos os participantes, e o contato com o esperma e a secreção vaginal podem elevar os riscos.

A melhor prevenção é usar o preservativo em todas as relações. Se utilizado corretamente diminui enormemente a chance de contágio, visto que algumas doenças podem causar lesões em regiões em que a camisinha não alcança. Para o sexo oral na parceira recomendamos cortar a base e fazer uma abertura longitudinal no preservativo masculino, de forma que fique um retângulo de película protetora. Pode ser utilizado também filme plástico (aqueles usados para proteger alimentos) porem eles são mais finos e correm o risco de rasgar facilmente. Não podemos esquecer também que para algumas doenças como, por exemplo, o HPV, existe vacina.

Importante sempre lembrar: embora muitas DSTs tenham tratamento, muitas não tem cura e podem deixar sequelas. Previna-se sempre e procure regularmente o seu Ginecologista.

---
Por Giorgia Pasquali
Médica ginecologista especializada em rejuvenescimento vaginal, laser vaginal, implantes hormonais (Mirena e Implanon), ginecologia geral, colposcopia e vulvoscopia e biópsias ginecológicas.